Carta para alguém bem perto ( e tão longe ).

Não, eu não sei exatamente o que eu tô escrevendo, mas sei exatamente o que eu tô sentindo, e pra mim, isso basta. Sou passional, intensa pra caralho e todos os meus dias são doídos. Cada pedaço meu pulsa e pulsa e pulsa um monte de sentimento desconexo. Eu vivo disso. De sentir.  E não, não me faz bem. Porque me machuca e maltrata. Porque a cada dia tenho que destruir a fantasia que construí. E dói. E chega. Porque minhas fantasias são construídas no teu molde.

Então, num gesto louco, rasgado, desorientado, doloroso e defensivo, me despeço de você.

E talvez você nunca saiba o quanto eu te amei…

Anúncios

Sobre A Pele Que Habito

Desconfio que é a maneira com que eu me olho que me dá essa dor. É inevitável enfrentar o espelho. Aí eu tenho um olhar específico pra me enxergar. Acho que todo mundo tem. O meu é fixo, intenso, levemente estrábico... Ver todos os artigos de A Pele Que Habito

Uma resposta para “Carta para alguém bem perto ( e tão longe ).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: